Um produto natural para a febre do feno que, ao contrário de outros fármacos, não compromete a saúde nem provoca sonolência

A secreção nasal, as comichões persistentes no céu-da-boca e na garganta, os ataques de espirros incontroláveis e os olhos vermelhos e lacrimejantes, marcam o início do verão para 25% da população do Reino Unido, que sofre de febre dos fenos. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas para alguns, estes sintomas podem ser tão debilitantes como uma gripe e podem ser acompanhados por tosse seca, ruídos respiratórios, dor facial, dores de cabeça, perda do olfato, incapacidade de concentração e irritabilidade. 1
Estes sintomas ocorrem quando os produtos químicos contidos no pólen são captados pelo sistema imunológico do doente, reagindo exageradamente e produzindo anticorpos que libertam altos níveis de uma substância química chamada histamina. O excesso de histamina no organismo é a responsável pela irritação das vias respiratórias superiores, que ficam inchadas, com prurido nasal e com muco.
Resumindo, a febre dos fenos é uma reação alérgica ao pólen de algumas plantas. O pólen das gramíneas é o desencadeante mais comum e tende a afetar a população todos os anos de Maio a Julho (final da primavera ao início do verão), época em que o pólen no ar aumenta. No entanto, o termo é frequentemente usado quando as alergias são causadas por outros pólens, como os de árvores, que tendem a afetar as pessoas, também todos os anos mas de Março a Maio (início ao fim da primavera).
É impossível evitar totalmente o contacto com o pólen, mesmo vivendo na cidade. O pólen pode viajar longas distâncias e é agravado com a poluição urbana, irritando e inflamando as vias nasais, tornando-as mais suscetíveis à presença de pólen. Aliás, o professor Jonathan Brostoff da Allergy Clinic do London’s Middlesex Hospital, acredita que a poluição do ar, especialmente a proveniente dos escapes dos motores dos carros, tem contribuído para o aumento no número de casos de febre de fenos nos últimos anos.

Os tratamentos convencionais podem deixá-lo atordoado, com sede... ou pior
Habitualmente os médicos recomendam a toma de medicamentos anti-histamínicos, como o Zyrtec e o Benadryl, que bloqueiam a ação da histamina. No entanto apesar de estes medicamentos poderem ser eficazes no alívio dos sintomas da febre dos fenos, eles podem causar efeitos colaterais desagradáveis, como sonolência, dores de cabeça, indigestão e secura da boca.
Para as pessoas que possuem sintomas graves é prescrita medicação esteroide. No entanto, a utilização a longo prazo de esteroides pode enfraquecer a pele, os ossos e o sistema imunitário.
Felizmente, o novo suplemento alimentar Quercetin Nettle Complex, acaba de ser lançado no Reino Unido pela Terra Nova, para ajudar a aliviar os sintomas da febre dos fenos. Não só é eficaz, como também é seguro e não possui efeitos colaterais. Para além do seu principal ingrediente ativo, a folha de urtiga, a fórmula também contém quercetina, vitamina C, açafrão, bromelaína e sabugueiro.

A urtiga funciona de forma semelhante aos anti-histamínicos convencionais, mas sem deixá-lo sonolento
As folhas de urtiga (Urtica dioica) contêm histamina, serotonina e acetilcolina - substâncias químicas que causam uma irritação local grave se houver uma picada de urtiga. Mas surpreendentemente os extractos desta mesma planta actuam como um anti-histamínico.
Num estudo, foram administradas a 69 pacientes com febre do feno, 2 cápsulas com 300mg de urtiga liofilizada, uma vez por dia durante uma semana. No final do estudo, 58% dos pacientes classificaram estas capsulas como eficazes no alívio de seus sintomas e 48% consideraram estas cápsulas com uma eficácia igual ou superior aos medicamentos que habitualmente tomam.2
Estudos posteriores revelaram que os ingredientes bioativos das folhas de urtiga podem inibir vários elementos-chave da resposta inflamatória, incluindo a libertação de histamina.3

Os restantes ingredientes da fórmula também podem aliviar sintomas como o corrimento nasal e os olhos lacrimejantes
A quercetina, a vitamina C e a bromelaína, foram incluídas no suplemento Quercetin Nettle Complex, pois estas substâncias podem aliviar os sintomas da febre do feno, seja isoladamente ou em combinação com outra medicação convencional.4
A quercetina é um flavonóide (pigmento vegetal natural) conhecido pelas suas potentes propriedades anti-inflamatorias.5 6A quercetina impede que os mastócitos produzam histamina. Num estudo laboratorial japonês, utilizaram-se células da mucosa nasal a partir de pessoas com febre do feno. A capacidade da quercetina em inibir a libertação de histamina foi quase o dobro em relação ao medicamento utilizado na febre dos fenos, o Cromoglicato de sódio.7
A actividade da quercetina é aumentada com a adição da enzima bromelaína e com a vitamina C. A bromelaína - derivada do ananás - é outro potente anti-inflamatório natural; a vitamina C evita a secreção de histamina e aumenta a sua taxa de degradação no organismo.8
A Cúrcuma é um anti-inflamatório natural extremamente eficaz; Pode até possuir uma acção mais poderosa do que a hidrocortisona.9 A curcuma também tem uma longa história de utilização em casos de reações alérgicas.
O Sabugueiro contém flavonóides anti-inflamatórios e tem sido tradicionalmente utilizado por fitoterapeutas no apoio do sistema respiratório, no tratamento da inflamação dos olhos e das infecções nos brônquios, e para aliviar a inflamação.10

Que quantidade tomar para obter os melhores resultados
A toma recomendada para o Quercetin Nettle Complex Nettle Complex é de 1 cápsula por dia de preferência entre as refeições. Contra-indicações: Não há efeitos colaterais ou contraindicações.

Captura de ecrã 2016-05-05, às 09.23.31